Orgãos Sociais

Mensagem do Presidente


Com o impacto que a digitalização tem vindo a ter sobre a forma como as populações comunicam, o core business dos operadores postais, nomeadamente o tráfego postal, tem vindo sofrer um decréscimo de volume a nível Global. Simultaneamente a digitalização tem tido um impacto positivo através do e-commerce, que tem despoletado o aumento substancial do volume de encomendas (maior valor acrescentado para os serviços postais do que o negócio postal). Em África, o efeito da digitalização tem sido uma redução do volume do negócio postal, sendo que o mesmo ainda não foi contrabalançado pelo aumento do volume de encomendas expeditas, isto devido a:

 

  • Insuficiência de infraestruturas;
  • Custo de transporte muito elevados;
  • Distribuição local não interligada aos principais mercados (EUA, EU e China);
  • Falta de confiança dos clientes.
     

A diversificação do negócio e a captação de novas oportunidades, sem esquecer parcerias estratégicas e «inteligentes» a nível nacional e internacional, é para nós a única via para compensar a aceleração da queda do tráfego de correio tradicional. Um pouco por todo o mundo, a tendência do setor do Correio tem sido a de apostar fortemente na diversificação do negócio, para áreas adjacentes de atividade que permitam aos operadores postais alavancarem, nos seus ativos únicos, o necessário crescimento e sustentabilidade futura.

 

Ainda que 40% do volume de negócios dos CCV são provenientes do Setor Postal (Correios), a empresa já vem desenvolvendo novos projetos ligados à logística, nomeadamente, transporte de cargas inter-ilhas, procurando melhorar os seus indicadores de desempenho econômico-financeiro.

 

É necessário ir mais longe e ajustar a estrutura de custos fixos às necessidades de médio prazo, garantindo, no entanto, elevados padrões de qualidade operacional, cumprindo com as obrigações inerentes ao Contrato de Concessão do Serviço Postal Universal, preservando a proximidade à população e assegurando que os CCV se mantêm uma marca de confiança para os Cabo-verdianos. O desafio de reestruturação dos CCV plasmados no seu novel Plano de Negócio e Estratégico, visando alinha-lo aos novos tempos, irá requerer de todos muita dedicação, esforço, sacrifícios, recursos substanciais e determinação. 

 

O Conselho de Administração agradece o Acionista Estado pela confiança e a todos os colaboradores e parceiros pelo engajamento, esforço, empenho e dedicação em tempos desafiantes.

 

O Presidente do Conselho de Administração,

 

Isidoro Mendes Gomes

 

Orgãos Sociais


Conselho de Administração

 

Presidente: Engº Isidoro Mendes Gomes

Administrador Executivo: Dr. Cipriano Semedo Soares de Carvalho

Administrador Não Executivo: Dr. Almiro Leónidas Almeida Rocha

 

Assembleia Geral

 

Presidente: Indira Tatiana Rosa do Santos

Secretário: Emiliano Lopes Delgado

 

Fiscal Único

 

PricewaterhouseCoopers&Associados – Sociedade de Revisores Oficiais de Contas, Lda., representada por Dr. Carlos Sim Sim Maia

Última atualização em 22 de Janeiro de 2020 às 08:33